"Rezem o terço todos os dias, para alcançarem a paz pra o mundo e o fim da guerra." (Fátima - Portugal)
   
Documento sem título
 




 
 
08/04/2013
"Jesus, eu confio em vós!"
MENSAGEM DA SEMANA
 

 

[476] - 14  de setembro de 1935  - Essa oração serve para aplacar a Minha ira. Tu a recitarás por nove dias, por meio do Terço do Rosário, da seguinte maneira: Primeiro dirás o “Pai Nosso”, a ‘Ave Maria” e o “Credo”. Depois, nas contas de Pai Nosso, dirás as seguintes palavras: “Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro.”  Nas contas de Ave Maria rezarás as seguintes palavras: “ Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.” No fim, rezarás três vezes estas palavras: “ Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro.”

 

“O silêncio é como a espada na luta espiritual; a alma tagarela nunca atingirá a santidade. Essa espada do silêncio cortará tudo que queira apegar-se à alma. Somos sensíveis à fala e sendo sensíveis, logo queremos responder; não levamos em conta se é da vontade de Deus que falemos. A alma silenciosa é forte; nenhuma adversidade a prejudicará, se perseverar no silêncio.”

 

 

Caríssimos irmãos,

 

Domingo da Misericórdia, esse é o dia que o Senhor fez para nós! Alegremo-nos e nele exultemos!

Dai graças ao Senhor porque Ele é bom! “Eterna é a sua misericórdia!”

 

Sim amados, hoje é o dia que o Senhor espera que nos rendamos ao seu infinito amor e bebamos diretamente da fonte de Sua misericórdia,

 

Jesus manifestou-se à Santa Faustina e ordenou-lhe que registrasse suas palavras e daí recebemos esse presente de onde podemos extrair verdadeiros tesouros, produzidos genuinamente na lavra do Coração de Jesus.

 

Do Diário de Santa Madre Faustina destacamos alguns trechos para saborearmos juntos, suplicando ao Espírito Santo que faça com que essas palavras penetrem profundamente em nossos corações e aí  gerem muitos frutos.

 

[1076]Tudo que existe, está encerrado nas entranhas da Minha misericórdia, e de forma mais profunda que a criança no ventre  da mãe. Quanta dor Me causa a falta de confiança em Minha bondade. Os pecados que Me ferem mais dolorosamente são os de desconfiança.

 

Começamos pelo número 1076 do Diário cujas palavras trazem um lamento de Jesus pelo pecado da desconfiança. Sabemos bem quem é o agricultor responsável por semear em nosso meio a dúvida e a desconfiança. Sabemos quem é o pai da mentira e da divisão. E da Sagrada Escritura nos vem a dica infalível: “Resisti ao demônio e ele fugirá de vós.” Quando sentirmos que a nossa fé está enfraquecida e que a razão começa a cobrar muitas explicações, é tempo de reagir apresentando-se assim mesmo diante do Senhor.

 

São Padre Pio em suas orações dizia ao Senhor que precisava Dele para que Lhe permanecesse fiel, pois sabia que era fraco e facilmente se afastava. A tibieza e aridez faz parte da vida do cristão. A presença delas nos dá oportunidade de buscar a Deus com mais intensidade. Disciplina é fundamental nessa caminhada.

 

Nossa boca fala do que está cheio o nosso coração. Em geral não temos o hábito de observar como nos expressamos cotidianamente nem como reagimos aos acontecimentos do dia-a –dia.

É dessa observação que podemos perceber que tipo de material temos enviado para o nosso coração.

As palavras mais presentes em nosso vocabulário denunciam alguém que está abastecido da Misericórdia do Senhor? Ao nos depararmos com as advesidades mais comuns, tal como uma fila grande, um atendente mal-humorado, um telefone insistentemente ocupado, uma fechada no trânsito, o avião que atrasou, a chuva que caiu no fim do expediente, o colega   que discorda sempre de sua opinião, a bronca injusta, o gás que acabou fora de hora, e por aí vai, como lidamos com esses fatos?

 

Pois é amados, temos que entrar urgente em um cursinho de “Defesa Pessoal”. Eles ensinam como reagir em situações inesperadas e perigosas. No campo espiritual, a prática também vem do exercício.

Temos que nos empenhar na oração, na leitura da Palavra, na frequencia aos sacramentos, na experiência da vida cristã se quisermos ter um novo olhar para o mundo e para a própria vida. Um olhar cuja lente passa pelo Coração Misericordioso de Jesus.

 

Jesus nos convida,aliás, acho que Ele nos desafia a acreditar em Sua bondade. Ele deseja que recorramos à Ele em todas as nossas dificuldades, sejam elas pequenas, grandes ou dignas de um milagre.

 

Caro irmão, irmã, apresente ao Pai das Misericórdias tudo que lhe inquieta, que rouba sua paz, especialmente se voce se acha uma pessoa sem fé, ou de fé pequena, como muitos se intitulam.

É pra gente com essas características que Deus derrama Sua misericórdia, senão vejamos:

 

[1074] –“Consomem-Me as chamas da misericórdia; desejo derramá-las sobre as almas humanas. Oh! Que grande dor Me causam,  quando não querem aceitá-las!”

 

Ficamos intrigados pensando quem poderia recusar graças, quem poderia desperdiçar a misericórida oferecida pelo Senhor? Mas essa observação ditada por Ele à Santa Faustina é dirigida a nós que hoje estamos lendo essa meditação. É uma provocação Dele para todos nós para que fiquemos mais atentos.

Pedimos muitas coisas mas as respostas não vem de imediato e nem na forma que esperamos. Pode ter acontecido de muitas respostas passarem desapercebidas e já devemos ter recusado muitas graças.

 

Irmãos amados, evangelizar pelo testemunho é o meio mais eficiente de anúncio da Boa Nova e lamentavelmente não damos a devida importância ao fato.

Nos omitimos ás vezes por timidez, não gostamos de falar em público. Deixamos de testemunhar por negligência, achamos que não é necessário e que não vai causar nenhuma mudança em quem ouvir. Negamos nosso testemunho por ingratidão. É como se Deus tivesse obrigação de nos atender ou pior, achamos que fizemos por merecer!

Toquei nesse assunto porque imagino que se nos esforçassemos para “passar adiante” as graças recebidas, com o mesmo interesse que levamos adiante uma fofoca, muitas pessoas teriam sua fé reavivada. Estaríamos exercendo de fato a missão que nos foi confiada de dar continuidade ao trabalho dos Apóstolos – pescadores de almas.

 

Passando para o próximo item em destaque, o número [1385], nele vemos Jesus nos falar sobre o momento da Sagrada Comunhão.

 

[1385] – “Desejo unir-me com as almas humanas; a Minha delícia é unir-Me com elas. Fica sabendo, Minha filha, (que) quando venho pela Santa Comunhão ao coração do homem, tenho as mãos cheias de toda espécie de graças e desejo entregá-las às almas, mas elas nem Me dão atenção; deixam-me sozinho, e se ocupam com outras coisas. Oh! Quão triste fico por não reconhecerem o amor! Procedem Comigo como com alguma coisa morta.”

 

A Celebração Eucarísitica existe para que nos alimentemos e, alimentados, saiamos dali mais forte para enfrentarmos os constantes combates a que somos expostos. Somos alvo do inimigo cujo objetivo maior é nos afastar de Deus.

O conceito de Sagrado nos parece que tem perdido força em nossas Igrejas. Há uma quantidade significativa de católicos que seguem os ritos sem compreenderem bem o que esta acontecendo.

São católicos por tradição, porque os avós eram, os pais são, etc. 

Por isso nosso saudoso Beato João Paulo II insistia em dizer que havia necessidade de evangelizar os batizados e o Papa Bento XVI instituiu o Ano da Fé – bem mais que uma catequese para a Primeira Comunhão e Crisma, nós cristãos temos a obrigação de conhecer nossa religião.

Mas o mundo moderno trouxe à nossa cultura  um excesso de informalidade que aos poucos tem apagado o conceito de Sagrado de que falávamos acima.

As pessoas entram em uma Igreja e fazem um arremedo de genuflexão e passeiam pela nave como se fosse a praça de alimentação de um shopping.

Enquanto a Missa está acontecendo no Presbitério, alguns irmãos acham que é a ocaisão de colocar os assuntos em dia e conversam e riem sem nenhum constrangimento.

Há quem se vista para participar da Missa como se fosse ao parque ou ao clube. Excesso de informalidade. Se visitar a Rainha da Inglaterra dificilmente poderia se apresentar com tais trajes...e para Deus pode?

E a equipe que ajuda no Presbitério , leitores, Ministros extraordinários da Sagrada Comunhão Eucaristica, pessoas que se preparam para essa tarefa, ficam em situação de evidência para quem está na Assembléia. Por mais forte razão deveriam dar exemplo de como comportar-se diante da presença real de Jesus.

Antes que o sacerdote se ausente, vemos velas sendo apagadas, retirada das vestes ainda no presbitério, conversas paralelas durante a celebração, etc..

Esses são uns poucos exemplos que retiramos da vivência, da propria observação e de ouvir aqui e ali os irmãos de comunidade.

Pedro, Tiago e João quando tiveram a experiência no Monte Tabor, ficaram tão extasiados que cairam com o rosto em terra. Jesus permitiu que eles O contemplassem transfigurado, e foi só uma idéia do que seria estar diante do Senhor.

Eis um dos motivos de Jesus se esconder em um pedaço de pão e no vinho – para que possamos nos colocar em Sua presença.  Se estivéssemos na pele daqueles três Apóstolos, que seria de nós?

 

Esse trecho do Diario em que Jesus fala da Comunhão, Ele diz que procedemos com Ele como uma “coisa morta.”

Na próxima vez que formos comungar, vamos procurar nos lembrar do que Jesus nos disse por meio de Madre Faustina e oferecer a Ele a nossa adoração e gratidão por vir até nós com as mãos cheias de toda espécie de graças.

 

Caríssimos, como de costume, gostaria  de lembrá-los que se preparem para nossa oração nessa noite de segunda-feira. Isso quer dizer que temos que rezar, buscar a confissãose for o caso,  ou seja, “limpar a casa”, para que o Espirito Santo a reconheça como sendo um dos Seus templos e onde Ele pode realizar suas obras com suavidade.

 

REZEM REZEM REZEM INTERCEDAM INTERCEDAM INTERCEDAM

 

BJUS NO CORAÇÃO

JACYRA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 

Artigo Visto: 1066 - Impresso: 79 - Enviado: 69

 

Visitas Únicas Hoje: 40 - Total Visitas Únicas: 67013 Usuários online: 3
© Copyright 2012 - 2015 - www.tercoemfamilia.com.br - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por: